O TEMPO: PORQUE NÃO SE DEVE PERDER.

Poucos de nós, que ao deparar com pessoas com limitações motoras ou de comunicação por consequência da idade, reflete que ao atingir este estágio da vida há de ter muita sorte com longevidade. Contudo, o mais importante nesta caminhada é como usar bem o tempo que temos.

Para alguns, entretanto, viver é um exercício penoso, sem tempo para contemplação: com isso, não se percebe o fluir dos dias, e a vida, é uma espécie de castigo: pois, vive-se num processo automático, sem liberdade para o bem-estar e as pequenas gentilezas, que maioria das vezes, são gratuitas.

Assim sendo, não devemos perder tempo com amarguras: passar horas e horas remoendo decepções ou alimentado ódios por pessoas, ou eventos infelizes. Porque isso, é certamente uma perda de tempo.

Antes, porém, devemos cultivar a gentileza e nos voltarmos para as boas coisas da vida: essas são, as mais simples e gratuitas, que nos dão contentamento e proporcionam momentos alegres.

Sobretudo, quando interagimos com pessoas: com empatia e civilidade. Nunca lhes impondo obrigatoriamente o nosso ponto de vista. Pois, é fato, que cada um de nós tem uma maneira peculiar de ver a vida.

Por fim, seja como for a sua vida, nunca perca tempo ou faça má uso de suas palavras e ações. Antes, contudo, faça o bom uso de todos os seus recursos físicos: seja para um abraço, um aperto de mão ou apenas um aceno respeitoso, assim, acertadamente verá que usou bem o seu tempo. ©Elizeu NVL.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.