HUMANIDADE: A CARÊNCIA DO MUNDO

Recentemente uma amiga do ‘facebook’ me sugeriu gentilmente que comentasse sobre o amor espiritual. Não sei se compreendi seu pedido, mas, como aquariano que vive no mundo das ideias e (sou grato por isso), me empenharei. Julgo que abordarei algo que vá ao encontro das expectativas da “friend”.

Como tudo na vida, desde uma grande jornada, e até para ir diariamente ao nosso banheiro, começa com um passo. Nesta reflexão, o primeiro passo é compreender o que é espiritualidade.  No entanto, para falar sobre um tema tão relevante, convém antes, firmar o que não é espiritualidade.

Não é espiritualidade seguir qualquer religião, com o devido respeito. Trata-se de coisas distintas, pouco importa o que é dito nos léxicos. Porque, todas as religiões têm em comum, a defesa de determinada doutrina, e isso por si só é incompatível com o mundo espiritual, pois, este transcende o tempo, o espaço e seus fins são essencialmente universais: equilíbrio, que vai muito além da insignificante compreensão humana.

Vale frisar, que não tenho a pretensão de aprofundar no tema com intuito de esgotar o assunto, antes, contudo, provocar uma reflexão que seja esclarecedora e traga alento a todos que leem nosso blog.

Depois de compreender que espiritualidade não se trata de religiosidade, devemos perceber que isso tudo está inteiramente ligado a nossa característica primordial que diferencia dos outros seres deste planeta, que é nossa humanidade. Isso, guarda referência com a nossa maneira de pensar, sentir ou agir, independente da influência da cultura ou da religião.

Viver humanamente é viver plenamente, de maneira tal, que a ética esteja no cerne de todas as ações que praticamos, seja qual for o ramo do conhecimento humano e compreender que nada (absolutamente nada) escape a equidade: (a observação dos critérios de justiça, ou seja, sempre a maneira mais justa em cada situação).

Lógico, que essa ideia de justiça seja utopia nesta terra, contudo, o grande problema não esse, pois, se só praticarmos o justo olhando para um modelo injusto que vemos, o mundo e nada nunca mudará.

Portanto, devemos praticar o justo e viver com justiça pela nossa porção de humanidade, pois, como sabemos, apenas uma gota faz transbordar um grande recipiente, assim, se cada um cuidar da sua parte talvez num futuro não muito distante viveremos no reino dos céus, pois, neste, não há medida injusta: este é o mundo da espiritualidade.

Por fim, para tratar da espiritualidade é preciso antes elevar o nosso nível de consciência sobre tudo, para que a nossa humanidade seja plena. Tal grau de pureza é até incompatível com o que praticamos e vemos ao nosso redor, por exemplo: (os sentimentos negativos: sejam os possessivos, os odiosos, os vingativos e outros de mesma esfera). Além disso, é essencial que abstenhamos cada vez mais da predisposição dos nossos instintos: (desejar e praticar futilidades pelo simples prazer). Talvez então, poderemos compreender e experimentar o mundo espiritual. © Elizeu NVL.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.