TENSÃO E STRESS: O PROBLEMA QUE SE TORNA ROTINA.

Algumas vezes durante um curto período, sentir-se tenso e com “stress” é até aceitável. Sobretudo, em nosso dia a dia, vivendo nesta realidade liquida, que bem definiu (Zygmund Bauman), onde, nada existe de concreto e perene, tudo se modifica constantemente, relacionamentos, valores e crenças.  Quando, no entanto, essas preocupações fogem ao nosso controle e viram a regra em nosso cotidiano, certamente há algo muito errado conosco.

O mais curioso é que muitos nós nunca sequer faz qualquer tentativa para compreender o motivo para andar com os nervos a flor da pele, literalmente. Esse estado que nos proporciona ansiedade e angustia que muitas vezes até nos coloca fora de ação, além de gerar tantas frustrações no dia a dia. Ocorre que geralmente justificamos tudo, apenas culpando fatores externos como: (a situação financeira; o trabalho; o relacionamento; a família, etc.), e nunca enfrentamos o problema na origem, ou seja, dentro de nós.

Usando metáfora da moeda que tem duas faces, assim também poderemos ver esse problema, basta analisarmos com mais atenção, e veremos que de um lado, como já é presumível, trata-se da face ruim: manifestada por dores no corpo, na cabeça e tantas outras sensações desagradáveis, que para algumas pessoas evoluem a partir disso para doenças crônicas (enxaquecas), etc.

Do outro lado, como já dissemos, tem a face boa: trata-se dos alertas que o organismo se utiliza, para chamar a nossa atenção para existência de problemas, que geralmente não são doenças, mas estão relacionados á nossa percepção de mundo, ou seja, a forma como encaramos a vida e seus percalços.

Como sempre fazemos aqui, não temos a pretensão de esgotar o assunto, nesta serie de textos: questionaremos, por meio de uma reflexão. Por que e tão difícil aceitarmos, que as soluções para grande parte dos nossos problemas são provenientes de coisas simples e ate abstratas?

Constaremos, portanto, que muitos dos nossos dilemas que geram dores e ansiedades, na verdade são causados pelas nossas próprias expectativas superestimadas, sobretudo, frente a terceiros ou ambições pessoais.

Não pretendo afirmar que é possível viver sem ‘stress’ ou frustrações, não, muito pelo contrário, isso é inerente á alma humana, pois, estamos vivemos num mundo imperfeito de pessoas idem. No entanto, sabendo disso, poderemos evitar mergulhar a fundo nas coisas “como se não houvesse amanhã”. (Prof. André Moraes).

Por fim, devemos ter consciência: de que não podemos tudo e não temos superpoderes como os super-heróis, e a compreensão: de que as pessoas são passiveis de falhas, e pouco ou nada pode ser feito quando a isso. Assim como, ter atitude: para evitar situações que te exponha em situação de tensão e conflito constante, sobremaneira, se envolvendo em problemas de outras pessoas gratuitamente. ©Elizeu NVL.